quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

en blanco y negro

músicas, muitas músicas
palavras que vão e vêm
sem pressa, sem porque
sem querer e querendo

são espaços preenchidos
com lagrimas e sorrisos
com sim e não pontuados
sem porque, sem nada

sem promessa, sem festa
durando o tempo que ele faz
o tempo, com seu relogio
infinito de ponteiros calados

em branco, preto
em cores indefinitas
em letras escritas
ditas, garrafais e apagadas

silencio da noite
o brilho da lua coberta
fraco como o sol de inverno
mas eterno e do tamanho do infinito

2 comentários:

Cami disse...

Robertáááá!!!
LiiiiindoooOooo!.. e, pra variar.... AMEI³³³³³...

E você só num é mais maravilinda pq existe Deus!

um beiJO!

Roberta Campos disse...

Só vc viu!!!!Você é um amor!! Obrigada, muito obrigada!!!!

Beijooo.