sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Saudade


As vezes dói de tanto sentir
Tem cor de nada
Cheira amendoim torrado
Tem gosto de algodão doce

Quando o vento sopra ela chora
Quando o sol vai embora, morre
Quando fica frio pede abrigo
E entra no meu coração

Não gosta de partir
Sempre vem quando acaba
Só fechar os olhos ela grita
Quando durmo acordo ferida

Passa pela janela da frente
À frente dos meus pensamentos
Só sinto, quase nunca vejo
Quando vejo, toco

Toco mas não consigo
Não consigo, só isso
Não vai pra lugar algum
Só aloja, sem pedir permissão

É como uma bola colorida
Se pensar fura
Se jogar explode na cara
Se chorar, ganha outra

Parece maçã do amor
Doce de batata doce
Puxa-Puxa que gruda no dente
Mouse de coco com chocolate

A saudade?! É verde
É feliz quando não sinto
E mais ainda quando esta terminando
A saudade não é salgada, é doce

2 comentários:

Cami disse...

sabe que eu me extrema-completa-identifiquei com isso.. como com tudo que você escreve.. ((signo))??? obrigada por me permitir no seu msn, blog, yakult.. e por estar aqui e por tão lindas e significativas palavras e por sentir e por transmitir e por... pensar e por agir.. e por ser! Obrigada!

Esteja bem, estreeeela!...

um beijO!

Roberta Campos disse...

Ahhh Camila, que coisas lindas você escreveu, obrigada!!! Me deixa feliz saber que você se identifica, é sempre bom você saber que as pessoas entendem o que você tenta passar, fico feliz de verdade...

E não te permiti não, nos permitimos e é um prazer tê-las em todos os lugares, orkut, MSN, blog, tudo, bem vinda a minha vida, obrigada por já fazer parte dela, fiquei quanto quiser, quanto quiser...

Beijinho!!